Posts tagged “atitude

Atitude

. 
Mirror Image, originally uploaded by siskokid 

 

“… Raramente sabemos do que somos capazes até nos depararmos com as situações …”
VIRGÍLIO, poeta latino (70-19 a. C.)

Na altura de enfrentar a situação
oxalá me seja permitido ver,
uma cabeça erguida
na face lisa do espelho
                                             reflectida.

E que a postura vista
não seja ao orgulho devida.

 

in Espelhos e Outras Faces

 

Anúncios

De um livro personagem

 

 

Surgias numa mensagem
do coração.

Desejei-te!
Como uma visão,
nas palavras, vislumbrei-te.

Eras, de um livro personagem.

Com ternura,
na memória,
alimentei-te.
Pura.
Sempre na esperança
que uma lembrança,
um dia,
                passasses a ser
e que uma fantasia,
uma noite,
                       deixasses de ser.

Reforçado pela oração,
algo me fazia crer
que essa magia
pudesse acontecer.

Permaneceste aparição.
Apenas num momento fátuo,
                                                           etérea.

Nós os dois, um duo?
Não viria a ocorrer.

Continuavas, de um livro personagem.

O meu ser, enchias.
Mas, a minha alma
com o vazio preenchias.

Hesitei
e perdi a coragem.
Agora sei,
que nunca te abraçarei.

Ficaste, de um livro personagem.

 

in √81 = IX ?


Repouso

Pleiaden, Plaiades M45, originally uploaded by ocupado.

 

Lá,
onde os Deuses vivem,
não entrarei.

Nem desejo ver tal morada!

O meu lar terá outra entrada.

Nasci homem.
Morrerei pó.

 

in Deuses, Homens e o Universo


Abismo(s)

não há calor.
e partículas orgânicas descem da profundidade.

bactérias bio-luminescentes
fazem as manchas na extremidades dos membros.
só a escuridão as revela.
num chamar que é sobreviver
em competição feroz.
mas o instinto honra a existência.

na densidade taciturna,
todo o engodo é precioso.
nada pode parar.
necrófagos imóveis serão restos pútridos.

ocasionalmente,
surge uma abundância inesperada.
até que a ossada seja nua.
tudo se transforma … em energia.

o tempo fará o esperado onde a neve marinha
alimenta os ténues rastos nos sedimentos pressionados.

neste limiar gélido
desenvolvem-se diferentes entidades.
minerais dissolvidos emergem das fissuras antigas
que ligam ao interior incandescente da terra.
para que a vida prospere,
as águas sobreaquecidas são fonte.

mas a opulência propicia o ócio e o desdém pelo essencial.
e dádivas são desperdiçadas levianamente.

nos antípodas,
há momentos tristes nos olhares do dia.

faces inexpressivas desenvolvem-se humanas,
apoiadas na paleta da maquilhagem,
animando as almas voluntárias que rondam os jardins.

nos cruzamentos maquinais dos seres,
a ausência aumenta o fosso do contacto
exaurindo a chama da comunidade na filáucia individual.

aqui há calor.
não há é valor, por existir.

in Diálogos, Epístolas Inertes


Breve Incerteza

DSC_1450

.

na multiplicidade da convergência
dispersa-se a espécie
e o futuro.

Sal da terra.
Pão do dia.

aprender a vida.
crescer!

E ser,
breve incerteza

ou reflexo em matéria cósmica.

.

in Interlúdios da Certeza


Desafio

Foi-me pedido para seleccionar a quinta frase completa do livro que estivesse a ler.

“Mao used the party press in July to lambaste the American ambassador and thereby to awaken sympathetic Americans to the danger of Patrick Hurley’s reactionary line and to arrest any shift in American policy toward strong support of Chiang Kai-shek.”

The Genesis of Chinese Comunist Foreign Policy – Michael H. Hume

Este é o livro que estou actualmente a ler. Como não é «literário» (obrigações do doutoramento), acrescento uma segunda frase, esta já dentro da área que nos une.

“(…) Each day I begged them to talk with me, since I had come such a long way.”

Selected Poems – Rumi

Passo o desafio a todos aqueles que gostam de partilhar as leituras que fazem.


Himbas

                Incontáveis instantes passaram
                na permanência dos de feição ocre,
que no inóspito persistem intactos,
                incólumes ao tempo e ao contacto.

Jamais houve sujeição!
                E são inarráveis as tentativas.

A coerência fá-los pertença
                do ambiente natural.

                Aí são unos.
                Aí serão incessantemente perpétuos.

                No universo tribal de Damaraland!


Palavras

Dizem
que uma imagem
vale mil palavras.

Mas
as palavras são eternas
e a imagens
efémeras.

As imagens,
aumentam o imaginável.
E as palavras?
Apenas
sustentam o perdurável.

Sem elas,
como se poderia
explicar as imagens?

in Espelhos e outras Faces