Lar da Espécie


The gate of all nations, originally uploaded by Shapour_3.

Nações! Raças!

Palavras vãs e fracos credos.
Fúteis criações do homem,
promotoras de divisões,
ameaças e medos.

Brancos, amarelos,
vermelhos ou pretos,
não importa nem interessa.
Somos da mesma espécie!

E não somos daqui ou dali,
deste ou daquele.
Somos filhos da Terra
e vivemos no mesmo lar.

Antes de ser branco, amarelo, vermelho ou preto,
o homem é espécie!
Antes de ser cidadão,
o homem é homem!

E não pode ser homem ou cidadão
se continuar a desrespeitar a terra.
Porque o lar da espécie é o mundo!
Que morre, lentamente,
entre as disputas das nações e das raças.

Nations! Races!

Vain words and weak faiths.
Man’s futile creations,
promoting divisions,
threats and fears.

White, yellow,
red or black,
neither is worth or matters.
We are of the same species!

And we are not from here or there,
from this or that.
We are children of the earth
living in the same home.

Prior to being white, yellow, red or black,
Man is species!
Prior to being a citizen,
Man is man!

And he can not be a man or citizen
if it continues to disrespecting the earth.
Because the world is home of the species!

Which dies, slowly,
between disputes of nations and races.

in Letras, Palavras e Linhas: Gestos pela diferença (2005)

6 responses

  1. Maravilha, Vicente!

    Um grito de alerta num poema quase divino!

    Como seria bom se todos pensassem assim!

    Parabéns, poeta!

    Beijos

    Mirze

    Dezembro 1, 2010 às 14:25

  2. Maria Antónia Moreira Anacleto Pereira Leite

    Vicente, foi bom ler este poema.
    “…E não somos daqui ou dali,
    deste ou daquele.
    Somos filhos da Terra
    e vivemos no mesmo lar.”

    Parabéns. Tu és MAIOR. Beijos

    Dezembro 1, 2010 às 17:51

  3. Belo poema, Vicente. Lembrei do astronauta que em órbita disse que lá do alto não via os limites entre os países.
    E cá em baixo, quando deixará de haver limites entre as cores? Eu, por exemplo, sou rosada. Ou colorida.

    Abraço

    PAZ e LUZ

    Dezembro 2, 2010 às 01:03

  4. AD

    Num mundo de egoístas???

    Mas é um belo sonho.

    Dezembro 4, 2010 às 19:25

  5. JV

    Somos uma espécie triste!

    Belo poema, bom ideal.

    JV

    Dezembro 4, 2010 às 23:09

  6. Um poema intrinsecamente humanista para um tempo que desejamos que aconteça.

    Um sonho em palavras, que faz nosso.

    Paulo

    Dezembro 6, 2010 às 15:30

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s