Distinguir

 

Nascer,
crescer
e continuamente aprender.

Ensinar,
identificar
e naturalmente classificar.

Distinguir,
perguntar:

Como se distingue um homem de um animal?
Como se distingue um homem de outro homem?

e consequentemente responder.

Um homem,
não se distingue
pelo que tem,
pode
ou obtém.
Mas sim,
pela atitude que toma
em relação a outro homem.

 

in Letras, Palavras e Linhas: Gestos pela diferença

16 responses

  1. CF

    Este poema é intrinsecamente humanista e profundamente revelador.

    Outubro 26, 2008 às 23:54

  2. Fico comovida

    Dezembro 4, 2008 às 00:59

  3. O início do poema é extremamente revelador do ser-humano, ou pelo menos do que deveríamos ser.
    Nascer e crescer, não apenas literalmente falando, mas para e com a vida, no seu todo, aprendendo e colhendo o saber, e ao mesmo tempo partilhando-o…

    “Nascer,
    crescer
    e continuamente aprender.

    Ensinar,
    identificar
    e naturalmente classificar.

    Distinguir,
    perguntar:”

    Depois a questão e a resposta. Mas para sabermos a resposta é precisamente necessário esse crescimento inicial.

    Alonguei-me… e já sabes que adorei. Sei que sabes!

    Beijo

    Janeiro 5, 2009 às 00:27

  4. Pingback: Distinguir | Splog

  5. riahnnon

    profunda mente

    POETA

    .
    um beijo

    Janeiro 6, 2009 às 22:54

  6. unica mente

    POETA

    .
    um beijo
    (de novo e agora eu)

    Janeiro 6, 2009 às 22:56

  7. Expressa a verdadeira tolerância.

    Grato
    Rocha

    Fevereiro 5, 2009 às 16:06

  8. A verdadeira distinção está aqui bem expressa.

    Cumprimentos
    Rocha

    Fevereiro 10, 2009 às 22:54

  9. Vicente!

    Este poema, profundamente humanista, deveria ser estendido como uma bandeira nos céus, para que olhando ninguém esquecesse que os valores não são materiais, ao contrário.

    “Um homem se distingue pela atitude que toma em relação à outro homem”

    Fantástico!

    Parabéns, poeta!

    Beijos

    Mirze

    Junho 13, 2010 às 00:57

  10. Maria Antónia Moreira Anacleto Pereira Leite

    Fantástico o que os meus olhos leram.Parabéns!

    Junho 14, 2010 às 00:14

  11. É-me impossível ficar indiferente à sua escrita.

    Paulo

    Julho 10, 2010 às 23:10

  12. Palavras sábias que, de facto, revelam uma personalidade humanista. Bem haja.

    Um abraço

    Paula

    Fevereiro 2, 2011 às 22:22

  13. Elsa

    Vicente:
    Aqui está a génese do verdadeiro sentido de SER HUMANO.
    Eticamente, o Homem É através da acção.
    Se não me revejo no outro,a minha existência é sumária e efémera.
    Revejo-me totalmente nesta poesia naquilo que é o meu entendimento do Homem ético, responsável.
    Em Kant esta acção, embora individual, deve ser orientada por um valor universal.
    Adorei!

    Março 7, 2011 às 20:41

  14. Vasco

    Palavras como estas são raras e cada vez mais necessárias.

    Junho 19, 2011 às 22:56

  15. VFS

    Escrevi este poema no dia em que fiz 15 anos.
    Embora se refira ao contexto da espécie humana, o mesmo princípio é válido para toda a natureza, criação e toda e qualquer forma de consciência.

    Janeiro 15, 2013 às 08:50

  16. Pingback: O meu partido é o Porto (4) | (in)Transmissível

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s