Vozes d’outros (17)

sem nexo

“dos ébrios diálogos sem nexo
farei matéria-prima
para que não se oprima a minha sintaxe
ao ferro frio do que é aceito nos salões da elite
nos requerimentos e decretos
nos livros acadêmicos

terei talvez que me livrar da biblioteca
investir o tempo nos botecos
nos mercados populares
nos bancos das praças
nos braços das putas
no psy trance, no funk, no rap hip hop

ôôôôôôôôôôô

neste ponto o poema se interrompe
não ainda para configurar a ruptura
mas para evitar um final insosso
tentemos, então, uma feijoada
ou algo de igual sustança e alento
tentemos um copo de cachaça
uma roda de samba no morro
mas o final interrompido volta à tona
tal bosta que não tolera o fundo da latrina:

se eu sumir, não der notícia,
não me procurem
terei encontrado
mais que a sintaxe das ruas
as balas perdidas da policia
uma maca infecta no corredor do pronto-socorro
um empolgante tiroteio entre milícias
um traficante transtornado vestido de rambo
um rabo-de-saia que me armou uma cilada

ôôôôôôôôôôôô

três nós de dedos na madeira
toc-toc-toc
isola

é melhor não correr riscos
conformar-me à minha sintaxe oprimida
pedir outra dose de uísque on-the-rocks
ouvir uma valsa vienense
vestir um fraque alugado
ir a paris afundar no crediário
hipotecar a casa o gato o futuro
emitir três talões de cheques sem fundos
comer salada de chuchu tomate e alface
nem um grama de gordura
abaixo a picanha, o torresmo, o miolo de alcatra
olhe o seu colesterol

ôôôôôôôôôôôô

três nós de dedos na madeira
toc-toc-toc
isola

a vida não tem nexo, meu chapa

este poema…
ôôôôôôôôôôôô
é melhor não correr riscos.”

Fred Matos

7 responses

  1. Agradeço-lhe a divulgação, Vicente.
    Grande abraço

    Setembro 4, 2009 às 00:24

  2. Vicente querido!

    Como sempre colhes as mais belas pérolas. Acompanho o Fred e fico intensamente emocionada com o que escreve.

    Parabéns pela pérola que escolheste!

    Beijos

    Mirse

    Setembro 4, 2009 às 01:19

  3. Ana Paula

    Obrigado por me ter dado a conhecer este poeta brasileiro.

    Ana Paula

    Setembro 5, 2009 às 23:03

  4. A obra de Fred Matos é poeticamente grandiosa, além de imaginação contém enorme “nexo”. Sua escolha, Vicente, foi bastante sensível. Parabéns!

    Com tempo para leitura, há uma escrita no “Maria Clara: simplesmente poesia” que não lhe é estranha…

    Um enorme abraço, caro amigo!
    H.F.

    Setembro 6, 2009 às 20:17

  5. preparava-me para te dizer que desconhecia totalmente esta tua faceta…
    obrigada pela tua partilha, vicente!
    parabéns ao autor e a ti que aqui o divulgas.
    um beijo
    luísa

    Setembro 9, 2009 às 00:40

  6. Já tinha ido ao nas horas e horas e meia do Fred Matos através deste blog.

    Excelente escolha! Grande poema!

    Paulo

    Setembro 10, 2009 às 23:17

  7. excelente a escolha .excelente poema .excelente poeta

    correcção de última hora:
    excelentes poetas – quem escreveu o poema e quem o partilhou…….

    .
    um beijo

    Setembro 17, 2009 às 18:16

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s