(Des)Conhecimento


White Light, originally uploaded by Philippe Sainte-Laudy.

 

Nós não conhecemos o ser das coisas.
Deciframos o mecanismo
mas ignoramos a razão.

Nós não nos conhecemos!

Então,
deveremos ousar
desvendar
os criptogramas
do infinitamente grande
e do infinitamente pequeno?

Não é verdade
que ainda nos desconhecemos?
Não é verdade
que ainda desconhecemos
o ser das coisas?

Sem conhecer, seremos infinito?

 

in Metafísica [Poética]

8 responses

  1. onde reside o infinito?
    belo poema, gosto muito.

    abraço, caríssimo.

    Junho 18, 2009 às 13:09

  2. fiz uma viagem ao interior de mim
    dura
    profunda
    rebuscada
    percorri labirintos
    embrulhei-me em dúvidas e medos
    toquei nas feridas
    esbarrei nas paredes por mim erguidas na imensidão do ser
    olhei-me
    observei um eu desconhecido
    assustei-me
    repreendi-me
    e impus-me regras novas
    a viagem de regresso foi escura
    longa
    penosa
    tive que voltar
    um e outro dia
    ano após ano
    ao poucos, as veredas foram clareando
    a viagem tornou-se mais serena
    o eu interior decifrado
    o inigma desvendado
    os muitos eus passaram a conhecer-se um pouco entre si.

    um beijo (e)terno, vicente
    luísa

    Junho 18, 2009 às 18:40

  3. AD

    Conhecer sem saber porquê.

    Boa reflexão (poética)

    A Dias

    Junho 18, 2009 às 22:11

  4. Hay más macromoléculas distintas en una sola célula que astros distintos en toda la Vía Láctea.

    desvendar
    os criptogramas
    do infinitamente grande
    e do infinitamente pequeno?

    Junho 20, 2009 às 09:21

  5. Diogo Costa

    Tudo depende do infinito que se procura.

    Junho 20, 2009 às 22:54

  6. ~pi

    ? quanto mais des)conhecimento

    mais

    eter) nidade🙂

    ~

    Junho 23, 2009 às 14:04

  7. Seremos
    infinitamente
    desconhecidos.

    Que linda imagem…

    Junho 25, 2009 às 01:37

  8. É a mais pura verdade!

    Mas há quem acredite conhecer-se .

    Desses tenho até consideração, mas não entendimento!

    Belo poema reflexivo!

    Parabéns, Vicente!

    Beijos

    Mirse

    Junho 26, 2009 às 17:25

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s