Não digo nada! (para Fernando Pessoa)

Não digo nada!
Sigo o teu conselho.

Ouso-me.
E deleito-me,
no aconchego das palavras [mudas],
num encantamento que me embala …
                                                                      … e preenche.

Que nos faz unos
– em tudo e nada –
aos momentos já vividos
e aos ainda não tidos.

Não disse nada

E se algo perdi,
que de todo desconheço,
                                                tudo senti.

Na fluidez do nada também fui.

E o som da jornada emudeço!

 

in Odes e Homenagens

6 responses

  1. Ana

    No silencio tangível.0o0

    Maio 25, 2008 às 02:06

  2. Há, contido no silêncio, um sentido tão latente, que somente pessoas que tenham o coração nobre e a alma elevada, são capazes de senti-lo plenamente.

    Estou feliz por conhecer ativo um desses.

    Novembro 5, 2008 às 16:28

  3. eu creio q disse tudo…de uma forma sublime…e deixou-me sem palavras para comentar!

    parabéns🙂

    Fevereiro 17, 2009 às 16:51

  4. em silêncio leio este poema.

    Fevereiro 18, 2009 às 23:53

  5. EF

    Este poema lê-se em silêncio!

    Fevereiro 19, 2009 às 16:10

  6. AMC

    Eu também sigo o conselho!

    António

    Fevereiro 19, 2009 às 16:12

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s