Identidade

Ó vil criatura
de vãs fantasias,
vives socialmente
no “plasma amorfo das sensações”.
Descontraído.
Habituado.

Mas nada criaste!
Absorveste,
as normas e os comportamentos
que a sociedade te deu
ou impôs.

Então,
como sabes que és?
Onde está o teu Eu?

in Metafísica [Poética]

5 responses

  1. procuro-o de uma forma incesante e ele teima eu poucas vezes se evidenciar…ou serei eu que não sei ouvir o meu Eu que me gritará desesperado

    Junho 10, 2008 às 09:12

  2. Mais um excelente pensamento poeticamente expresso.

    Obrigado
    Paulo

    Dezembro 26, 2008 às 21:52

  3. Meu querido, este poema está maravilhoso!

    Dezembro 27, 2008 às 17:20

  4. E, também por isso, continuamos à procura de ser.

    Dezembro 28, 2008 às 21:01

  5. Amigo
    Desejo-te, bem como aos teus familiares e amigos que 2009 seja o primeiro de dezenas de anos de realização dos melhores sonhos.
    Abração

    Dezembro 28, 2008 às 21:50

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s