Causa

pó e lama,
moldados.

pelo oleiro da vida
simultaneamente distante.

o sopro remanesce,
já perecido.
e a procura adensa a água.

barro diluído.
promessa corrompida.

 

in Da Natureza e Afins

6 responses

  1. Moldar os sonhos como letras em frente do teu nome…
    Um abraço.

    Novembro 13, 2008 às 13:52

  2. Ecrever o distante no presente, subtraindo-o ao pó , ao barro primordial, encontrar as palavras certas para o dizer , e muito bom lê-las escritas aqui ….
    cordialmente___________ JRMarto

    Novembro 13, 2008 às 16:35

  3. Promessas…

    Novembro 13, 2008 às 16:42

  4. Promessas … ou alegorias?

    Novembro 14, 2008 às 00:20

  5. Vicente,

    como sempre
    os seus versos são singelos e subjetivos, portando encantadores.

    Elevam-me a alma.

    Saudações estrelares,
    Hercília F.

    Novembro 14, 2008 às 01:45

  6. Causa e efeito.
    Vida e escolhas.

    Fevereiro 10, 2009 às 21:19

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s