Ciclos

Há alturas
em que me sinto
perfeitamente
rendido,
inteiramente
submetido,
à sorte do sabor provocado
pelo constante ondular
das folhas soltas das árvores.

Que se encontram vivas,
livres,
nos ventos do presente Outono, a flutuar.

Folhas,
que se descobrem renascidas,
exultadas,
e outra vez desprendidas,
na Primavera
de futuras brisas.

in Geografia e Outras Circunstâncias

 

Spring leaves, originally uploaded by Stas Porter.

5 responses

  1. Vasco

    Também me enlevo na simplicidade da sua escrita.

    As fotos foram muito bem escolhidas.

    Novembro 9, 2008 às 04:13

  2. Ótimo poema.
    Grande abraço

    Novembro 10, 2008 às 01:34

  3. Como se mais nada fosse importante, a não ser esse ciclo de vida. Belo poema! **

    Novembro 10, 2008 às 11:00

  4. TV

    Somos folhas soltas nas brisas da vida.
    Lindo!

    Novembro 13, 2008 às 00:27

  5. des

    prender

    os

    sentidos

    Novembro 24, 2008 às 20:13

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s