A Tua Luz Perdura (para Sophia de Mello Breyner Andresen)

Nascido na tua imaginação,
o valente cavaleiro
ainda preenche o meu coração.
Ó poetisa, o meu fiel companheiro
foi tua criação.

Com amor mo deste.
Com amor to liberto.
Apenas para voltar,
depois de te acompanhar
nesta ultima viagem.

Contigo irá, é teu pajem,
ao destino que desejares.
Talvez vás à Dinamarca?
Não importa. Vai em paz!
E não olhes para trás.

Porque entre nós, a luz perdura.
Os exemplos são aos milhares:
As palavras que formaste,
os versos plenos de magia,
as vidas que tocaste,
os contos vivos de fantasia,
e a liberdade que tanto prezaste.

Na lembrança, a tua luz perdura.
Em ti, a esperança é ternura.

Obrigado.

in Odes e Homenagens

2 responses

  1. TV

    Este poema é uma homenagem muito bem conseguida.
    E o seu blogue é muito bom. Parabéns.

    Maio 16, 2008 às 17:39

  2. Joana

    Que bonita e sentida homenagem à grande senhora!

    Gosto muito da Sophia e gostei muito das tuas palavras que fazem do cavaleiro andante companheiro da viagem que a sua criadora agora trilha.

    Parabéns!

    Beijos fraternos

    Fevereiro 14, 2010 às 23:26

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s