Sabor a Mel (para Gabriel de Mariz)

As palavras tiveram outro sentido
depois dos “Sonhos Breves”.
Para elas fui atraído.
Foi onde tudo começou.

E o que aí se originou,
logo se reforçou.
Imediatamente fui preenchido
por um “Capricho de papel”.

A partir daí,
deixei-me ir.

Para
– quem sabe –
voar,
             evoluir
                              e criar.

Mas jamais esqueci,
onde foi que aprendi,
o sentir
das palavras
                             e o seu sabor a mel.

in Odes & Homenagens

One response

  1. Madalena

    Aproveito a deixa de família para marcar aqui o sinal da minha passagem!
    Gostei muito do blog e da poesia! hei-de cá aparecer de vez em quando.
    Beijinho,

    Madalena Mariz

    Maio 8, 2008 às 23:10

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s